{smoothgallery folder=images/stories/promo&width=400&height=300}

TAI CHI ARTE DA MEDITAÇÃO EM MOVIMENTO


A mente. É essencial que a mente da praticante esteja tranquila e concentrada. Respirar também envolve a circulação da força vital interior chamada Chi. E assim como a respiração, a circulação do sangue é essencial à vida. A respiração controla a circulação do sangue. O estudante de Tai Chi usa o movimento para ajudar o chi a acelerar a circulação do sangue que conjuntamente com a respiração o oxigena em profundidade. O equilíbrio - o praticante não se inclina nem para a frente, nem para trás, nem para nenhum dos lados. O tronco deve estar erecto e numa posição central. Não apenas o tronco, mas a parte inferior do tronco também deve estar centrada. O peso do corpo deve repousar no meio dos pés, nunca nos artelhos ou calcanhares. Dessa maneira o praticante pode apoiar todo o seu corpo sem se cansar. Continuidade - em Tai Chi cada movimento precede o outro. No pensamento chinês o Tai Chi Chuan é comparado a um rio comprido que flui livremente, incessante e pacificamente. Os braços devem ter coordenação com as pernas e a cabeça com o tronco, de forma tal que nenhuma das partes se mova em ritmo mais rápido ou lento que as outras. Distribuição de peso A distribuição de peso nos pés muda sem cessar. Apenas no início e no fim o peso repousa igualmente sobre os dois pés.
1 - respiração suave e profunda.
2 - concentração moderada no dantien.
3 - pés bem projectados no chão.
4 - corpo relaxado.
5 - postura do tronco alinhado com o eixo.
6 - mente concentrada, embora não de forma obsessiva.
7 - movimentos suaves, com as articulações soltas.
8 - O olhar move - se de acordo com a mão principal, a que lidera o movimento. A energia enraíza-se nos pés, desenvolve-se nas pernas, é comandada pela cintura e manifesta-se nos dedos. Em Tai Chi Chuan utilizamos o pensamento e não a força muscular, tudo está ligado, sem interrupção do princípio ao fim, quando termina uma revolução, começa outra, o movimento circular e espiralado desenrola-se ao infinito. Da família do Wushu (arte marcial chinesa), o Tai Chi Chuan assemelha-se às ondas de um grande rio ou do mar. A cabeça
. A cabeça é o regente e a ponta das energias Yang, pois todos os canais de energia yang do corpo iniciam na cabeça (num total de 6 meridianos e um vaso), deve estar erecta e relaxada.
A má postura e a tensão na cabeça bloqueiam a energia Yang e perturbam a nitidez da percepção e da consciência.
. O topo da cabeça deve estar voltado para o céu. Isto faz com que as energias fluam sem bloqueios. Quando o topo da cabeça está alinhado com o eixo do corpo, a energia fica mais desperta. Nariz e boca
. O nariz e a boca actuam em estado de respiração tranquila. Se tal não ocorrer, podemos abrir ligeiramente a boca para alívio de qualquer pressão do interior do corpo. Depois de liberada a pressão, tornamos a fechar a boca.
. A respiração deve estar unificada com a consciência, ,para obtermos a sensação do estado de contracção e dilatação.
. O nariz é a referência para a determinação e projecção da linha do meio, definindo, com isso, a questão de esquerda e direita no espaço onde realizamos os movimentos. Braços
. As energias e a atenção devem estar posicionadas na palma da mão. Esta não deve estar totalmente relaxada nem muito esticada.
. No decorrer da sequência, quando o braço estiver num movimento ascendente, a base, o quadril e a cintura devem ser rebaixados.
. Quando a metade superior do corpo e os braços estiverem em movimento, as pernas não podem estar rígidas, devendo haver um sincronismo nos movimentos das duas pernas do corpo.
. Quando se fazem círculos com as mãos, esses não podem ser efectuados isoladamente em relação ao resto do corpo. O movimento é sempre da totalidade, embora a liderança seja de uma determinada parte.
. Durante o exercício as energias chegam á ponta dos dedos da mão. Com as mãos macias e não contraídas, os praticantes podem ter a sensação da energia intensificando-se. No fim do exercício as energias serão recolhidas para o seu centro. O abdómen
. A força na cintura deve afundar para baixo.
. A força na lombar deve estar fechada para dentro, contornada a cintura até ao abdómen.
. A respiração deve ser profunda e suave. Com o passar do tempo, o praticante pode sentir um calor, até mesmo forte, no ventre e/ou nos rins. Coluna dorsal e costas
. A coluna deve ser sentida conscientemente durante os exercícios de relaxamento e aquecimento.
. Todas as vértebras devem estar relaxadas. Após um longo tempo de prática com relaxamento as vértebras, durante a sequência do Tai Chi Chuan.
. As energias da coluna devem distribuir-se horizontalmente para os dois lados. Devemos procurar jamais exercer força alguma de contracção das costas para o centro, onde se situa a coluna. Pernas e pés
. Durante o movimento, a base deve estar firme, sem balanço do corpo. Devemos evitar rigidez nas pernas e procurar sempre o pisar consciente.
. Durante o movimento, devemos procurar manter uma sincronia nas transferências de peso entre as duas pernas.
. Quando pisamos no chão, as solas dos pés devem estar bem plantadas e devemos procurar não contrair a região entre o primeiro e o segundo terços do pé.
. O movimento da mão é sempre sincronizado com o movimento do pé e apenas no final do movimento da mão é que estamos com o peso inteiramente sobre o pé, com o qual estamos a pisar o solo. O pé só estará inteiramente plantado quando o lançamento da força chegar ao seu final.
. De preferência, os movimentos da perna devem ser mais circulares, ao invés de movimentos totalmente lineares. Até mesmo a perna que ficou parada durante determinado tempo deve-se mover, suave e discretamente em círculo.
. Depois de um certo tempo de desenvolvimento de Tai Chi Chuan, podemos passar a sentir as energias fluindo até às solas dos pés surgindo então uma sensação de pulsação.
. Ao dar-se o primeiro passo, devemos chegar em primeiro lugar com o calcanhar. As forças nunca devem ser colocadas totalmente de imediato. Não tendo a mão chegado ao seu objectivo, também o pé não deve alcançá-lo.